controle financeiro empresarial

Manter o controle financeiro empresarial sempre bem refinado é fundamental para o bom funcionamento de qualquer negócio. Afinal, é através dele que se consegue organizar melhor o capital, tomar decisões mais acertadas e planejar melhor cada passo que será dado em direção ao promissor futuro da empresa.

Se você ainda não conhece as melhores práticas para otimizar o controle financeiro do seu negócio, confira aqui 6 dicas que listamos para te ajudar a aprimorar sua gestão e alavancar seus resultados!

1. Faça um planejamento a médio e longo prazo do controle financeiro empresarial

Muitas vezes, as obrigações de um empreendedor são tantas que grande parte da rotina de trabalho acaba sendo absorvida por atividades operacionais do dia a dia, sobrando pouco tempo para o planejamento.

Ainda assim, é preciso ter em mente que esse planejamento é a base de qualquer negócio, pois fornece uma orientação mais precisa a respeito daquilo que precisa ser feito para alcançar os objetivos estipulados.

Diante disso, o ideal é planejar com muito exatidão o controle financeiro de médio e longo prazo. Além de fornecer uma visão de futuro para a empresa, essa ação serve de base para definir táticas de movimentação mais adequadas.

2. Otimize o controle do fluxo de caixa

O fluxo de caixa é o registro de todas as operações de entrada e saída de dinheiro que ocorrem na empresa em determinado período. Além de transparecer os motivos que levaram a empresa a determinado saldo de caixa, é possível utilizar os números para fazer análises importantes para a saúde do negócio – como averiguar se alguma operação está consumindo excessivamente recursos da empresa –, além de fornecer uma base sólida para a elaboração de novos planos – que podem envolver redução de gastos, negociação com fornecedores e planejamento de recebimentos.

Então, para otimizar o fluxo de caixa, é fundamental fazer o registro de todas as despesas e receitas dentro de um período determinado, mesmo aquelas aquelas consideradas insignificantes por serem muito pequenas. Esses valores, quando somados, podem revelar um montante significativo que impacta no resultado.

Além disso, o ideal é registrar e revisar diariamente todos os lançamentos que foram feitos: essa frequência ajuda a evitar erros e negligências no lançamento de algumas informações. Caso as falhas ocorram mesmo assim, é possível identifica-las com brevidade corrigindo a situação antes que ela se torne um grande problema e afete análises futuras.

3. Acompanhe indicadores financeiros

Os indicadores de desempenho são excelentes ferramentas de gestão que permitem acompanhar os resultados planejados. Dessa forma, o empreendedor pode avaliar se os esforços e recursos empregados são suficientes e estão no local correto, para alcançar as metas que foram estipuladas.

Para um controle financeiro empresarial mais eficaz, vale a pena calcular alguns indicadores, como lucro bruto, lucro líquido, custos de produção, despesas administrativas, rentabilidade, retorno sobre o investimento (R.O.I) e endividamento; tudo isso ainda em valor e percentual. Assim, é possível identificar riscos e reconhecer qual é a origem de cada problema, o que permitirá solucioná-los com mais eficácia.

Além disso, um indicador é capaz de apontar um problema que pode ser resolvido por meio do acompanhamento de outros. Quando o faturamento foi alto e a sensação é a de que o dinheiro não sobra, por exemplo, é sinal de que a lucratividade está baixa, e a causa disso, na maioria dos casos, são custos operacionais  ou administrativos elevados. Isso aumenta o risco do negócio, principalmente quando há queda nas vendas.

4. Aprimore a gestão de estoques

A gestão de estoque é uma atividade operacional que tem como finalidade controlar os produtos que serão oferecidos aos clientes. Porém, uma gestão adequada visa evitar excessos (dinheiro parado), faltas de mercadoria (perda de oportunidade) e minimizar desperdícios.

Para aprimorar essa gestão, o ideal é acompanhar a frequência de vendas de cada item, acompanhar o comportamento do demanda do mercado, realizar compra de produtos conforme fluxo de vendas realizado e definir com base em dados, estoque mínimo que garantirá o pleno antedimento da demanda.

Esse tipo de controle ajuda a reduzir custos, otimizar o capital de giro, engordar o caixa da empresa e garante o atendimento ao cliente.

5. Planeje as contas a pagar e a receber

As contas a pagar e a receber são um dos pontos mais importantes do controle financeiro empresarial. Quando não planejadas adequadamente, a empresa corre o risco de não conseguir honrar seus compromissos na data, precisando arcar com multas e juros devido aos atrasos.

Para evitar esse tipo de situação e os gastos desnecessários decorrentes, o ideal é programar as datas de recebimento antes dos pagamentos. Dessa forma, quando for o momento de pagar os fornecedores, existem mais chances de haver dinheiro em caixa. E para melhorar ainda mais o controle das contas a pagar e a receber, vale a pena planejar dois aspectos importantes:

  • Negociar melhor com fornecedores, tentando obter menores preços e melhores condições de pagamento com prazos mais dilatados. Essa negociação é ainda mais relevante quando há alguma conta pendente, em que há incidência de juros;
  • Criar uma política de cobrança. Afinal, a inadimplência dos clientes afeta seriamente a capacidade que uma empresa tem de pagar suas contas, o que, a longo prazo, prejudica a perenidade do negócio no mercado. Para diminuir esses índices, vale a pena investir em ações de cobrança e em restrição de crédito para clientes que já possuem alguma pendência.
  • Antecipe-se a possíveis erros de controle financeiro de seus clientes. Vários deles podem esquecer de paga-lo, não por má fé, mas pelo simples fato de não terem uma boa organização de contas a pagar e a receber e acabam se esquecendo do compromisso. Crie um fluxo de comunicação com seus clientes para lembra-los antecipadamente de uma forma amistosa, que a data de vencimento de compra já está chegando. E-mails e mensagens de SMS são boas ferramentas para isso.

6. Automatize o armazenamento de dados

Como o controle financeiro empresarial requer o acompanhamento de muitos dados e exige grande acuracidade das informações, fazer essa gestão manualmente pode aumentar o risco de erros. Tais problemas são graves e influenciam de forma negativa as análises realizadas, tornando-as menos precisas e menos confiáveis.

Nesse sentido, o investimento em um sistema de gestão ajuda a contornar todas essas situações. Automatizando as atividades, você garante maior agilidade na execução dos processos e torna as informações mais seguras e confiáveis. Além disso, o sistema pode ser um excelente aliado do empreendedor, fornecendo uma base sólida que ajuda no processo de tomada de decisão.

Como você pode ver, o controle financeiro empresarial é crítico para uma empresa, e uma gestão adequada ajuda a garantir que o negócio obtenha bons resultados. Para isso, existem diversas formas de aprimorar os processos: basta que o empreendedor analise seu negócio e busque identificar falhas que precisem de correção, além de oportunidades de melhorias que precisam ser aproveitadas.

E então, o que achou do post de hoje? Quer continuar acompanhando todos os conteúdos que postamos aqui no blog? Assine agora a nossa newsletter e receba todas as nossas novidades em primeira mão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *